Projeto programação e robótica

cabecalho01

As Bibliotecas do Agrupamento de Escolas da Mealhada, através essencialmente do trabalho da Professora Cristina Carrilho, desenvolvem um projeto de promoção da programação e robótica.

Depois de um período inicial no ano letivo 2015/16, com o desenvolvimento de atividades envolvendo a aplicação Scratch, depois de um ano de intervalo, andamos a experimentar outras aplicações e dispositivos que têm em comum o objetivo de desenvolver competências na área da programação e robótica.

Temos envolvido essencialmente alunos do 2,º ciclo do Ensino Básico da Pampilhosa e da Mealhada, pois são aqueles que se mostraram mais receptivos. Temos notado também a adesão positiva de alguns alunos com necessidades educativas especiais que têm revelado boas aptidões para as tarefas desenvolvidas.

Anúncios

Feliz Natal no Scratch

natal scratch

Uma das atividades das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas da Mealhada tem como base de trabalho a aplicação Scratch, cuja animadora é a professora Cristina Carrilho.

A referida aplicação está concebida para ensinar os rudimentos da programação em computador e iniciar qualquer interessado nesta “arte”.

Para o Natal, os alunos envolvidos no projeto “desenharam” um trabalho, demonstrando o que aprenderam num período.

O projeto tem um blogue por onde podemos acompanhar o trabalho dos alunos (clicar na imagem):

scra

Começaram as atividades Scratch

Os alunos da Escola Básica n.º 2 da Pampilhosa tiveram o seu primeiro contacto com  linguagem de programação através da aplicação Scratch, do MIT.

Um aluno do 5.º ano, o Pedro, fez o seu primeiro projeto, tendo construído o seu próprio cenário e explorado comandos, ciclos de repetição e, naturalmente, muitos conhecimentos matemáticos e linguísticos.

scratch_n

Em modo Halloween, o João e o Diogo também quiseram aventurar-se a dar os primeiros passos em Scratch…

scratch_n2

Scratch & Programação: cria os teus projetos

Scratch é uma das linguagens de programação mais acessíveis por não exigir conhecimentos prévios de outras linguagens. Fruto do trabalho continuado de investigação e aperfeiçoamento das linguagens e ambientes de programação para jovens (LOGO, nos anos 80), foi criada no Media Lab do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e divulgado publicamente em Maio de 2007.

scratch

Esta linguagem de programação, cujo lema é “inventa, programa, partilha”, foi concebida e desenvolvida como resposta ao problema do crescente distanciamento entre a evolução tecnológica no mundo e a fluência tecnológica dos cidadãos. Foi pensada, igualmente, para promover um contexto construcionista propício ao desenvolvimento da fluência tecnológica nos jovens, desde muito cedo, e das competências transversais ditas “para o século XXI”, nomeadamente a resolução de problemas. Os seus autores creem que poderá, ainda, permitir avançar na compreensão da eficácia e inovação do uso das tecnologias nas aprendizagens em diferentes domínios e contextos, nomeadamente na educação matemática formal e informal (pela própria natureza do ambiente), tornar os jovens criadores e inventores (mais do que meros consumidores de tecnologia) e estimular a aprendizagem cooperativa.

Na opinião de investigadores, o Scratch afigura-se como um meio tecnológico de muito potencial para o ensino e aprendizagem em diferentes contextos e/ou áreas disciplinares, permitindo que utilizadores de todos os ciclos de ensino – pré-escolar, básico, secundário e superior -, exercitem a sua criatividade, o raciocínio científico, lógico e matemático e desenvolvam variadíssimas competências, específicas e transversais, de forma interativa e lúdica.

Em Portugal, esta linguagem de programação é divulgada pelo EduScratch – projeto do Centro de Competência TIC da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, integrado nos projetos da Direção Geral de Educação (DGE) através da Equipa de Recursos e Tecnologias Educativas (ERTE).