Sunset de poesia em Barcouço

cierre-libro-sobre-mesa-atardecer_30478-3583

Poesia ao pôr do sol

No próximo dia 31 de maio, pelas 19:00, a turma do 4.º ano da Escola Básica de Barcouço irá realizar um Sunset de poesia na Escola com o objetivo de proporcionar um agradável momento de poesia a todos os alunos e convidados.

Esta atividade decorrerá com a colaboração da Biblioteca Escolar e será uma oportunidade para os alunos finalistas desta escola comemorarem em grande o seu final de ciclo, apreciando muito este momento de recitação poética, de leitura ou dramatização de poesia, com e para a comunidade.

Alunos do 4.º ano

E.B. de Barcouço

Poesia de Manuel António Pina

como se denha

 

Como se desenha uma casa

Manuel António Pina

Último livro de poemas inéditos de Manuel António Pina.

Prémio Camões 2011

A este livro foi atribuído, já a título póstumo, o Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes.

Abecedário dos Afetos

Em dezembro, a Biblioteca do Centro Escolar da Mealhada lançou um desafio de Natal às crianças que frequentam este estabelecimento de ensino. A partir da exploração do poema da Luísa Ducla Soares, Abecedário sem juízo (Poemas da Mentira e da Verdade, 2016), propôs-se aos alunos a construção de um poema de Natal que rimasse. A turma M4, em resposta ao desafio, construiu o Abecedário dos Afetos. Resultou num poema de todos, com todos, que agora enriquece as paredes da nossa biblioteca!

DSC00237

DSC00245

Eugénio de Andrade: poesia para o 1.º ano

e_a_

Apresentação

Documento gráfico

A “Educação Literária” para alunos do primeiro ano de escolaridade prevê a leitura de 8 poemas de Eugénio de Andrade contidos no seu livro “Aquela nuvem e outras”.

Para uma primeira sessão, seleccionámos 4 poemas que considerámos mais adequados ao nível da leitura e escrita dos alunos, ou seja, os mais simples e curtos, para fácil assimilação por crianças do primeiro ano.

Por outro lado, queríamos poemas que demonstrassem alguns recursos estilísticos próprios do género literário, nomeadamente a rima. É muito importante, no nosso entendimento, que mais do que fazer uma análise formal dos poemas, pouco interessante neste nível de escolaridade, transmitir aos alunos a “musicalidade” da poesia. Por isso, escolhemos as peças que nos pareceram mais expressivas e procurámos declamá-las de acordo com essa musicalidade.

Elaborámos uma apresentação em que a parte visual beneficiasse a compreensão dos poemas, em particular no que respeita a certo vocabulário que as crianças pudessem não conhecer. O documento gráfico serve para que os alunos fiquem com os elementos de informação recolhidos e para sugerir algumas atividades.

Os documentos são de uso livre.

Fizemos uma sessão na E.B. de Barcouço e correu bem.

Poesia de Manuel António Pina

Pina_Poesia

A um Jovem Poeta

Procura a rosa.
Onde ela estiver
estás tu fora
de ti. Procura-a em prosa, pode ser

que em prosa ela floresça
ainda, sob tanta
metáfora; pode ser, e que quando
nela te vires te reconheças

como diante de uma infância
inicial não embaciada
de nenhuma palavra
e nenhuma lembrança.

Talvez possas então
escrever sem porquê,
evidência de novo da Razão
e passagem para o que não se vê.

Manuel António Pina, in “Nenhuma Palavra e Nenhuma Lembrança”