O Caderno Vermelho da Rapariga Karateca

Caderno-Vermelho-da-Menina-Karateca

O Caderno Vermelho da Rapariga Karateca

de Ana Pessoa

Ilustração de Bernardo Carvalho

Planeta Tangerina

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 3º ciclo, destinado a leitura autónoma.

N não é uma menina, é Karateca.
N tem 14 anos, quase 15, e o seu maior sonho é ser cinturão negro e beijar Raul.
N gosta de escrever, mas prefere lutar com o Raul.
(escrever é uma seca.)
Isto não é um diário. Não tem chave, não tem segredos.
(sim, tem segredos.) Também tem vontade própria, páginas movediças, palavras como «diarreia» e «romântico» e personagens como a bruxa má que quer aprender a ser boa e a mosca que não sabia quem era.
Isto é o Caderno Vermelho da Rapariga Karateca. O objeto preferido de N, um animal de estimação, uma personagem, uma pessoa de verdade.
(O que é a verdade?)

O Caderno Vermelho da Rapariga Karateca é a primeira obra de Ana Pessoa.

Venceu o prémio Branquinho da Fonseca – Expresso / Gulbenkian, na modalidade Juvenil.

Anúncios

Yukio Mishima, Albert Camus e muitos outros

Mais três livros.

  • A Melodia do Adeus, de Nicholas Sparks
  • O Tumulto das Ondas, de Yukio Mishima
  • O Estrangeiro, de Albert Camus

primeira destas obras é do autor campeão mundial da especialidade “arrasa-corações”, cujos livros já suscitaram grandes êxitos do cinema melodramático.

Yukio Mishima foi um dos maiores escritores em língua japonesa, escreveu dezenas de romances, poesias, peças e ensaios políticos e filosóficos, tendo sido indicado por três vezes ao prémio Nobel de Literatura. A descobrir.

O Estrangeiro é um verdadeiro “clássico” da literatura contemporânea e Camus um grande escritor que marcou uma época.

 

Alice: vê o filme, lê o livro!

Trailer

 

Temos na Biblioteca 3 edições ao dispôr do leitor do clássico da literatura em que se baseia este filme: Alice no País das Maravilhas.

Alice’s Adventures in Wonderland é a obra mais conhecida de Lewis Carroll e é um clássico da literatura inglesa. O livro conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho e vai parar num lugar fantástico povoado por estranhas personagens: um coelho apressado, uma rainha despótica, baralhos de cartas em forma de gente, por aí fora. Estas personagens têm um significado simbólico e são referências de determinados aspectos da sociedade inglesa da Época Vitoriana (segunda metade do século XIX).

Foi objecto de numerosas adaptações ao cinema, à TV e ao teatro.

O novo filme:

Estreia nos EUA em salas IMAX e em salas normais, a 5 de Março de 2010, do filme com Johnny Depp, Anne Hathaway e Helena Bonham-Carter

O novo filme de Tim Burton baseado no clássico de Lewis Carrol, “Alice no País das Maravilhas”, vai ter uma versão 3D nas salas IMAX. Foi revelado na terça-feira pelos estúdios da Disney, em conjunto com a IMAX Corporation. A versão 3D de “Alice in Wonderland” estreia nos EUA ao mesmo tempo que a versão normal, dia 5 de Março de 2010.

Esta versão do autor de “O Estranho Mundo de Jack” vai combinar “acção real” com animação por computador. O processo de “pintura” das filmagens e “motion capture” – filmar os movimentos dos actores e transformar esse material em animação – está a decorrer neste momento. “Fazer um filme com um grande orçamento é um processo orgânico e dá-nos a oportunidade de experimentar”, explicou Burton numa entrevista à revista “Empire”, afirmando que ainda não sabia que percentagem do filme seria animado e que percentagem seria em “imagem real”.

“Gosto do elemento 3D do filme, acho que encaixa muito bem com o material e já não me dá uma dor de cabeça”, disse.

O elenco de “Alice no País das Maravilhas” inclui Johnny Depp como o Chapeleiro Louco, Anne Hathaway como a Rainha de Branca, Helena Bonham-Carter como a Rainha Vermelha, Mia Wasikowska como Alice, Alan Rickman e Crispin Glover.

“Vai ser uma experiência cinematográfica deslumbrante com Tim [Burton] a levar os espectadores através da toca do coelho e até a um mundo cheio de personagens incríveis, humor matreiro, e aventuras fantásticas” descreveu Mark Zoradi, presidente da Walt Disney Studios Motion Picture Group, à agência Canada Newswire.

 Público, Ípsilon, 01.04.2009 (podes consultar o texto todo na Biblioteca)

Mais informações: IMDB