BE do Agrupamento apresentam projeto em Tondela.

13263789_10208037561489852_2956424486759580269_n

 

No passado dia 21 de maio, o professor bibliotecário Pedro Semedo proferiu uma comunicação sobre o projeto “Levar o livro eletrónico à sala de aula” no Encontro da Rede de Bibliotecas de Tondela – “Bibliotecas Inclusivas: novas literacias, novos leitores”

Esta comunicação foi integrada num painel denominado “Práticas (e-)literárias e aprendizagem móvel“, em que foram apresentadas outras três experiências: “Conhecimento à mão – cidadania.com TIC“, da AE de Tondela Cândido Figueiredo, “DigiLer“, do AE de Nelas, e “Projeto letrinhas“, do AE Artur Gonçalves de Torres Novas. Foi muito interessante a partilha de experiências que resultou destas comunicações, uma vez que o âmbito geral destes projetos são coincidentes na utilização de dispositivos móveis em ambiente escolar.

Chamamos especial atenção para o “Projeto letrinhas” que consiste no desenvolvimento de uma plataforma digital, em colaboração com o Instituto Politécnico de Tomar, que visa ajudar os docentes que lecionam os dois primeiros anos de escolaridade a fazer o apoio a alunos com problemas de aprendizagem do Português. Para já, estes recursos só estão disponíveis para o Agrupamento de Escolas Artur Gonçalves de Torres Novas, mas tem potencial para se estender futuramente a todos os que ensinam a Língua Portuguesa a crianças com problemas de aprendizagem.

No Encontro houve mais temas desenvolvidos: no dia 20, a coordenadora nacional da RBE, Dr.ª Manuela Silva desenvolveu o tema “Bibliotecas Escolares: um presente com futuro – novos desafios” a abrir os trabalhos. Seguiu-se o painel um, “Bibliotecas e leitores do séc. XXI: do livro ao digital“, com a participação de Bruno Eiras, das bibliotecas de Oeiras, com a comunicação “As leis de Ranganatham ou a leitura digital nas Bibliotecas Municipais de Oeiras“, de Daniel Catalão, conhecido profissional da RTP, com “O guardador de bits: quando estás a ler zeros e uns sem saber” e Isabel Alçada, investigadora da Universidade Nova de Lisboa, com “Bibliotecas Digitais”.

No painel dois, “Desafios XXI: leitores e leituras na era das literacias digitais“, Carlos Pinheiro, professor bibliotecário premiado, especialista em livros eletrónicos da Rede de Bibliotecas Escolares e nosso “guru” no projeto que desenvolvemos no nosso Agrupamento, desenvolveu o tema “Narrativas transmédia e formação de leitores”, Melissa Gama, da Fundação Francisco Manuel Santos, divulgou a “Pordata Kids: literacia estatística para os mais novos”, Paulo Garcez, da Fundação PT, apresentou “O contributo das TIC nos processos de aprendizagem” e Bernardo Mata, da EMEPC (Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental), transmitiu “Desafios para o séc. XXI: sustentabilidade ambiental num projeto aLer+ – os recursos do Kit do Mar“.

13239419_2224428944364472_217345197613286147_n

Anúncios

U.C. desenvolve jogos em Android

osmaiasbecominganexpert

Uma equipa multidisciplinar de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), em colaboração com um programador e um grupo de designers, desenvolveu um conjunto de jogos para dispositivos móveis que pretende tornar a aprendizagem mais aliciante e interativa.

Disponíveis apenas para o sistema operativo Android, os jogos criados pelos investigadores da UC vão ser lançados oficialmente a 7 de maio, durante o 3.º Encontro sobre Jogos e Mobile-Learning, a decorrer na FPCEUC, e disponibilizados a todas as escolas que se mostrem interessadas.

No total foram quatro os jogos desenvolvidos: “1910”; “Tempoly”; “Os Maias. Becoming an expert!” e “Konnecting. O Homem, ser comunicante”.

.MAIS

Mais tablets disponíveis no Agrupamento

As bibliotecas escolares do Agrupamento concorreram ao programa “Ideias com mérito” lançado pela Rede de Bibliotecas Escolares com o projeto “Levar o livro eletrónico à sala de aula”.

Na prática, o projeto centrou-se na utilização de tablets na sala de aula e tem um carácter essencialmente experimental.

Como recurso tecnológico com potencialidades pedagógicas, a introdução dos dispositivos móveis na sala de aula ainda está numa fase de experimentação, com alguns insucessos mas também com bons e frutuosos exemplos em muitos casos.

No ano letivo passado, fizeram-se experiências na Escola  Secundária e na EB 2 da Mealhada e nenhuma delas redundou em insucesso.

Uma das barreiras à sua utilização radica na falta de formação dos docentes e, devido a várias vicissitudes, as sessões marcadas no final do passado ano letivo foram sendo adiadas. Temos a intenção de agendar sessões para o início do segundo período.

Por outro lado, soubemos que correu a ideia de que o projeto seria circunscrito à Escola Secundária. A verdade é que, a conselho da RBE, o primeiro ano seria desenvolvido apenas na Escola Secundária e que no segundo ano, este que agora decorre, seria estendido aos restantes estabelecimentos de ensino do Agrupamento. Por isso, ANUNCIAMOS QUE ESTAMOS ABERTOS A PROPOSTAS DE QUALQUER DOCENTE DO AGRUPAMENTO para atividades que exijam a utilização de tablets.

Também correu entre docentes do Agrupamento a opinião de que seria melhor distribuir os tablets por todas as bibliotecas. O projeto tem como objetivo a utilização dos dispositivos em sala de aula como mais um recurso e esse propósito só tem sentido se houver um aparelho por um ou dois alunos, no máximo. Daí termos optado por aparelhos com SO Android e em número de 15.

A sua utilização livre em biblioteca inscreveu-se numa estratégia de familiarizar os alunos que não têm acesso a esta tecnologia, numa ótica de estabelecer igualdade de acesso aos recursos.

 Adquirimos mais 19 tablets da marca eZee Storex

(Nota: a opção por esta ou outra marca decorre das regras que o Estado impõe para as compras de entidades públicas, uma vez que se tem de ir a concurso e não se pode indicar marcas mas apenas características técnicas)

eZee tabeZee tab2

Encontro: Biblioteca, sala de aula e dispositivos multifunções

ideiascomerito

Com o objetivo de incentivar a partilha de boas práticas e a reflexão conjuntas em torno de temas fundamentais para o desenvolvimento do uso das tecnologias, a Rede de Bibliotecas Escolares e o Agrupamento de Escolas da Mealhada promovem o encontro Biblioteca, sala de aula e dispositivos multifunções no próximo dia 27 de maio.

Estarão presentes professores bibliotecários, que se realizará na Escola Secundária da Mealhada, com o seguinte programa:

10h30 Abertura dos trabalhos

  • Dr. Fernando Trindade, Diretor do Agrupamento de Escolas de Mealhada
  • Dr.ª Manuela Silva,  Coordenadora Nacional da Rede de Bibliotecas Escolares

11h00 Do projeto à execução – questões práticas (Aquisição, gestão e disponibilização de equipamentos, fundo documental e aplicações digitais.)

12h30 Almoço

14h30 Ente a biblioteca e a sala de aula – a tecnologia e as práticas (articulação biblioteca/ sala de aula)

16h30 Balanço/ síntese dos trabalhos

17h00 Encerramento

“Ideias com mérito” 2014

Foi anunciado na página da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) o resultado das candidaturas 2014 das “Ideias com mérito”, à qual a Equipa das Biblioteca Escolar da Escola Secundária do Agrupamento concorreu.

2014-04-30_1137

O resultado foi bastante positivo, uma vez que a nossa candidatura foi contemplada com uma verba de € 4100.

2014-04-30_1205

O projeto que apresentámos prevê desenvolver atividades ao longo dos dois próximos anos letivos relacionados com a aplicação dos livros eletrónicos e de tablets na sala de aula.

Breve descrição do projeto (adaptado do original enviado para a RBE)

Enquanto a geração “e” (electronic) se converte em geração “C” (colaboração, conetividade, conteúdo), agindo e aprendendo de forma diferente, consideramos fundamental fomentar um trabalho de proximidade com os conteúdos curriculares, promover a leitura e a utilização da informação e a produção de recursos educativos digitais e respetiva disseminação.

Este projeto visa a utilização de tablets e smartphones na sala de aula, de forma articulada, em atividades de formação e divulgação, para alunos e docentes, nos domínios:

a) promoção da leitura

b) fomento da literacia da informação

c) produção e disponibilização de conteúdos e aplicações que potenciem a leitura e aprendizagem.

Pretende-se que estes dispositivos comecem a ser utilizados na sala de aula, como qualquer outro recurso.

Numa primeira fase, trabalharemos com alunos e docentes do sétimo ano da Escola Secundária. Numa segunda fase, envolveremos turmas do 1.º CEB do Agrupamento. Se a dinâmica do projeto o determinar, podemos contemplar outros níveis.

A formação dos intervenientes será crucial, prevendo-se a demonstração das potencialidades dos dispositivos para lá da utilização trivial e passiva, a sua aplicação à leitura e o desenvolvimento de recursos educativos. Prevemos a produção de material pedagógico, nomeadamente de e-livros em domínio público, vídeos, apresentações, gamebooks, etc..

Para apoio à produção de material pedagógico que exija grandes recursos de informação e mobilidade, utilizaremos um computador portátil multimédia.

Para as sessões de formação de alunos e docentes prevemos a aquisição de tablets, computador portátil multimédia, software de produção, livros eletrónicos.

Procuraremos um apoio científico na FPCE da Universidade de Coimbra, com a vinda ao Agrupamento de peritos para formação.