Pessoa: heterónimos

Poesias – Heterónimos Livro

de Fernando Pessoa

introdução e organização de Auxília Ramos e Zaida Braga 

Porto Editora

Sinopse

Torno-me eles e não eu – é deste modo que Pessoa reconhece a sua personalidade múltipla. A par desta personalidade, a sua escrita caracteriza-se pela pluralidade e diversidade; é uma escrita de inúmeros rostos e temas diferentes, de “outros eus”, a quem o poeta atribui uma personalidade e vida próprias.

Os heterónimos Alberto Caeiro – o mestre -, Ricardo Reis e Álvaro de Campos são os rostos, as máscaras mais conhecidas desse universo dramático pessoano: um inocente guardador de rebanhos, um sereno pensador clássico e um efusivo engenheiro da era moderna. Cada um tem uma voz distinta, mas em todos ecoa a voz de Pessoa, ele mesmo.