Discurso Entrega de Prémios de Mérito 2019

discursos (2)

A Educação e o Futuro

por Rita Miguel Coimbra Semedo

Boa tarde, colegas, professores, pais e todo o corpo docente e não docente do Agrupamento de Escolas da Mealhada.

É uma honra proferir estas palavras na presença de tanta gente que marcou o meu percurso educativo ao longo dos anos. E é exatamente esse o assunto que venho abordar hoje – a educação. Podemos definir “educação” como “conjunto de normas pedagógicas tendentes ao desenvolvimento geral do corpo e do espírito”.

Immanuel Kant, um filósofo alemão da época iluminista, acreditava que a educação ultrapassava o chamado “treino”, pois defendia que a mesma se devia centrar na razão, no pensamento crítico, nas normas morais e no desenvolvimento do carácter, afirmando “é por isso que se mandam as crianças à escola: não tanto para que aprendam alguma coisa, mas para que se habituem a estar calmas e sentadas e a cumprir escrupulosamente o que se lhes ordena, de modo que depois não pensem mesmo que têm de pôr em prática as suas ideias”. Exige que não se aprendam pensamentos, que não se encha a cabeça das crianças com ideias de outros, porque o que é importante é aprender a pensar (“Importa, antes de mais, que as crianças aprendam a pensar“), e sublinha a educabilidade do homem (“o homem é a única criatura que deve ser educada“). Kant considera que toda a educação deve assentar em princípios, ou seja que a “educação e instrução não devem ser meramente mecânicas”. Um desses princípios, e o de maior importância, expressa-o nestes termos: “eis um princípio da arte da educação que os homens que fazem planos de educação, particularmente, deveriam ter sob os seus olhos: não se deve somente educar as crianças segundo o estado presente da espécie humana, mas segundo o seu estado futuro, possível e melhor, quer dizer, conforme à Ideia de Humanidade e ao seu destino total. Este princípio é de grande importância. Os pais, de ordinário, só educam os filhos com vista a adaptá-los ao mundo atual, por mais corrompido que ele esteja. Deveriam, pelo contrário, dar-lhes uma educação melhor, a fim de que um melhor estado possa de aí surgir no futuro.”. Assim, defende que a educação não tem só como objetivo a preparação e treino do homem, mas também o aperfeiçoamento do mesmo e, consequentemente, da sociedade em que se insere. A tarefa educativa é, por isso, de capital importância.

A meu ver, é este mesmo o objetivo do ensino. Num primeiro plano, alimentar-nos das matérias mais elementares, ensinar-nos os princípios e conhecimentos necessários para passarmos à próxima fase; e num patamar mais elevado, desafiar-nos a vários níveis e nas mais diferentes áreas. Fazer-nos refletir sobre a nossa própria forma de pensar, criarmos as nossas próprias opiniões e aprendermos a defendê-las, adquirirmos forma de inovar perante novas adversidades ou até problemas já existentes desde os primórdios. Sermos capazes de criar um novo olhar sobre o mundo e conhecermo-nos melhor a nós próprios e os nossos valores, sempre acompanhados pelos nossos tutores, sejam eles na forma de familiares, professores ou qualquer outro indivíduo que nos ajude neste processo. Em suma, o objetivo do ensino é ajudar-nos a crescer, quer intelectualmente, quer enquanto pessoas e cidadãos atentos e responsáveis.

Penso que posso falar por todos os meus colegas quando digo que este agrupamento de escolas nunca nos será indiferente, pois não foi apenas o local onde estudámos o abecedário e a tabuada, foi também o local onde nos tornámos quem somos agora, o local em que fomos apoiados para atingirmos os nossos objetivos e um local do qual não saímos a mesma pessoa que éramos quando entrámos. Fomos marcados não só pelo local, mas por todo o corpo docente e não docente que o e nos rodeia. E, por todos os estudantes, agradeço a todos os professores, familiares, auxiliares, pessoal e, a pessoa do responsável máximo do agrupamento, o Sr. Diretor Fernando Trindade, por todo o trabalho e dedicação postos na nossa educação.

Acredito que, mesmo depois de terminarmos estudos, este crescimento nunca parará. Estamos sempre a descobrir coisas novas, maneiras de pensar diferentes e a evoluir – ou, nas palavras de Kant, a aperfeiçoar-nos a nós e, consequentemente, a Humanidade. Portanto, para finalizar, peço que nunca deixem de se melhorar, que nunca deixem de aprender, e, principalmente, nunca deixem de caminhar em direção a um futuro melhor, quer pessoal quer coletivo.

Obrigada a todos e uma boa tarde!

Dia do Diploma

No dia 19 de Outubro, o Agrupamento de Escolas da Mealhada realizou o seu Dia do Diploma, no Cineteatro Messias, no âmbito do disposto na Lei nº 51/2012, de 05 de setembro (Estatuto do Aluno e Ética Escolar), que estipula como direitos do aluno “ver reconhecidos e valorizados o mérito, a dedicação e o esforço no trabalho e no desempenho escolar” e “ver reconhecido o empenhamento em ações meritórias, em favor da comunidade em que está inserido ou da sociedade em geral, praticadas na escola ou fora dela”.

Dado o elevado número de alunos e de famílias envolvidos, tem-se dividido a cerimónia em duas partes. Este ano, a primeira sessão foi reservada para a entrega de diplomas aos alunos até ao 8.º ano de escolaridade e a segunda aos restantes estudantes.

As apresentadoras são ou foram alunas do Agrupamento:

Os diplomas foram entregues pelos Directores de Turma, pelos Coordenadores de Estabelecimento das Escolas Básicas n.º 2 da Mealhada e da Pampilhosa, por dois membros da Direcção da Associação de Pais, pelo Coordenador dos Assistentes Operacionais, pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal e pelo Director do Agrupamento:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Houve atuações de dois grupos de bailado:

da claque que participou nas Escolíadas pela equipa da Escola Secundária:

Este slideshow necessita de JavaScript.

e de um coro:

coro (4)

Houve discursos:

Os finalistas levaram o seu Diploma:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Cine-Teatro esteve cheio das duas vezes: