MIT oferece livros

Trata-se de uma coleção digital de livros clássicos já esgotados sobre arquitetura e estudos urbanos editados pelo célebre Massachusetts Institute of Technology, um prestigiado centro de investigação e ensino superior a nível mundial.

American Design Ethic: A History of Industrial Design
Arthur J. Pulos
1983

The Politics of Park Design: A History of Urban Parks in America
Galen Cranz
1982

Sotsgorod: The Problem of Building Socialist Cities
N. A. Miliutin, George R. Collins, and William Alex
1975

Architectural Space in Ancient Greece
Constantinos A. Doxiadis
1972

On Leon Battista Alberti: His Literary and Aesthetic Theories
Mark Jarzombek
1990

Possible Palladian Villas (Plus a Few Instructively Impossible Ones)
Richard Freedman and George L. Hersey
1992

Modernity and Housing
Peter G. Rowe
1993

The Open Hand: Essays on Le Corbusier
Russell Walden
1977

The Harvard Jerusalem Studio: Urban Designs for the Holy City
Moshe Safdie
1987

Orthogonal Town Planning in Antiquity
Ferdinando Castagnoli
1967

Beyond Habitat
Moshe Safdie
1970

The Education of the Architect: Historiography, Urbanism, and the Growth of Architectural Knowledge
Martha Pollak
1997

The Dream of the Factory-Made House: Walter Gropius and Konrad Wachsmann
Gilbert Herbert
1984

Why Architects Draw
Edward Robbins
1994

The Architecture Machine: Toward a More Human Environment
Nicholas Negroponte
1970

Soft Architecture Machines
Nicholas Negroponte
1976

The Architecture of Erik Gunnar Asplund
Stuart Wrede
1980

Gottfried Semper: In Search of Architecture
Wolfgang Herrmann
1984

Frank Lloyd Wright versus America: The 1930s
Donald Leslie Johnson
1990

Rebuilding Central Park: A Management and Restoration Plan
Elizabeth Barlow Rogers, Marianne Cramer, Judith L. Heinz, Bruce Kelly, Philip N. Winslow, and John Berendt
1987

The Staircase, Volume 1: History and Theories
John Templer
1992

The Staircase, Volume 2 : Studies of Hazards, Falls, and Safer Design
John Templer
1992

Megalopolis: The Urbanized Northeastern Seaboard of the United States
Jean Gottmann
1964

Designing Paris: The Architecture of Duban, Labrouste Duc, and Vaudoyer
David Van Zanten
1987

Architecture in the Scandinavian Countries
Marian C. Donnelly
1991

Technics and Architecture: The Development of Materials and Systems for Building
Cecil D. Elliott
1992

Architecture, Ceremonial, and Power: The Topkapi Palace in the Fifteenth and Sixteenth Centuries
Gülru Necipoglu
1992

Architecture, Poetry, and Number in the Royal Palace at Caserta
George L. Hersey
1983

Making A Middle Landscape
Peter G. Rowe
1991

Le Corbusier, the Noble Savage: Toward an Archaeology of Modernism
Adolf Max Vogt
1998

Survey of Architectural History in Cambridge, Second Edition
East Cambridge
Cambridge Historical Commission
1989

Survey of Architectural History in Cambridge, Volume 2
Mid-Cambridge
Cambridge Historical Commission
1967

Survey of Architectural History in Cambridge, Volume 3
Cambridgeport
Cambridge Historical Commission
1971

Survey of Architectural History in Cambridge, Volume 5
Northwest Cambridge
Cambridge Historical Commission
1977

Prémio Aga Khan para a Arquitetura

akaa_logo_english_bis

Em 1977, foi criado o Prémio Aga Khan para a Arquitetura, um dos prémios mais prestigiados naquela área de atividade.

Desempenha um papel importante ao influenciar o discurso arquitetónico global e ao promover soluções inovadoras para os problemas com que se deparam muitas sociedades.

É atribuído de três em três anos aos projetos que estabelecem novos padrões de excelência nas áreas de arquitetura, práticas de planeamento, preservação histórica e arquitetura paisagística. É dada atenção a esquemas de construção que utilizem recursos locais e tecnologia adequada de maneiras inovadoras, e com projetos que inspirem esforços semelhantes noutros locais.

Em 2019, um dos projetos premiados foi uma Biblioteca: Microbiblioteca Taman Bima

Este slideshow necessita de JavaScript.

AKDN

Aga Khan, que é tratado como Sua Alteza, é fundador e principal líder da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento. É o 49º Imam (Líder Espiritual) dos Muçulmanos Shia Imami Ismailis (Ismaelitas, um ramo do Xiismo que é, por sua vez, uma das duas principais facções do Islamismo).

O Governo português concedeu ao Príncipe Aga Khan a nacionalidade portuguesa, já que, tendo nascido na Suíça, crescido e estudado no Quénia e nos Estados Unidos, com ligações ao Canadá, Irão e França, escolheu morar e dirigir a comunidade em Portugal.

Shah Karim al Hussaini, príncipe Aga Khan, tinha 20 anos quando se tornou o imã da minoria xiita de 15 milhões de pessoas, espalhadas por todo o mundo, sucedendo ao avô. Para os muçulmanos ismaelitas é descendente direto do profeta Maomé.

As relações com o nosso país são mais antigas, mas estreitaram-se quando em junho de 2015 foi assinado com o Governo português um acordo para o estabelecimento da sede formal e permanente do gabinete do imã em Lisboa. Significa que os Ismaelitas têm a sua sede no nosso país.

No contexto das suas responsabilidades hereditárias, Sua Alteza o Aga Khan tem estado profundamente envolvido, ao longo de mais de 60 anos, no desenvolvimento de países em todo o mundo através do trabalho da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento.

REDE AGA KHAN PARA O DESENVOLVIMENTO (Aga Khan Development Network) engloba uma série de agências orientadas para o desenvolvimento e a promoção do bem estar das populações: Academias Aga Khan, Agência Aga Khan para o Habitat, Agência Aga Khan para o Microfinanciamento, Serviços Aga Khan de Educação, Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico, Serviços Aga Khan para a Saúde, Fundo Aga Khan para a Cultura, Universidade Aga Khan e Universidade da Ásia Central e a Fundação Aga Khan.

aorganigramme.png

Desenvolve atividades em assuntos muito diferentes como é a agricultura e segurança alimentar, arquitetura, sociedade civil, cultura, educação, desenvolvimento empresarial, inclusão financeira, habitat, saúde, cidades históricas, ajuda humanitária, desenvolvimento industrial, desenvolvimento de infraestrutura, média, música, promoção do turismo.

Esta organização tem uma das principais bases em Portugal, onde intervém nas áreas da inclusão social, nomeadamente dos imigrantes, e na educação.

 

Visita Guiada à Biblioteca Nacional

bn_visita

O programa da RTP “Visita guiada” é um dos melhores da televisão portuguesa, da autoria e apresentação de Paula Moura Pinheiro que faz uma visita guiada ao património cultural português.
Em cada emissão, o programa elege uma peça-protagonista seleccionada de entre as que foram produzidas em Portugal nos últimos mil anos. Pode ser um pequeno cálice ou uma catedral, um conjunto de esculturas, uma pintura, um jardim botânico ou um complexo de arquitectura industrial. O que conta é a sua excepcionalidade.
Em cada emissão, são convocados especialistas na matéria, gente informada e esclarecedora.

Desta vez foi a Biblioteca Nacional de Portugal (e não de Lisboa, mas enfim…) e este programa é interessante por três motivos:

1- aborda o edifício como objecto arquitectónico e que acolhe peças de design excepcionais.

2- contém aspectos relacionados com a organização de uma biblioteca e valoriza o trabalho de gestão da equipa que trabalha na BNP.

3- mostra alguns dos tesouros bibliográficos que contém nas suas reservas.