Clássico da literatura distópica

admiravel

Admirável Mundo Novo

de

Aldous Huxley

)xxx(

Tradução

Mário-Henrique Leiria

Aldous Huxley: escritor inglês nascido a 26 de Julho de 1864, no Surrey (Inglaterra), e falecido a 22 de Novembro de 1963, em Los Angeles (EUA). Neto do biólogo Thomas Henry Huxley e filho do escritor Leonard Huxley, estudou em Eton e formou-se no Balliol College de Oxford em 1916.
As personagens principais dos seus primeiros livros, como Crome Yellow (1921), Antic Hay (1923), Those Barren Leaves (1925) e Point Counter Point (1928), são geralmente intelectuais e escritores, traçando-se o retrato por vezes irónico e satírico das suas pretensões e desilusões. A partir deste tema, Huxley alarga-se para o tema maior do vazio da sociedade do século XX em livros como Brave New World (Admirável Mundo Novo, 1932). Posteriormente, interessou-se pelo misticismo e pela filosofia hindu: Eyeless In Gaza (1936) e The Perennial Philosophy (1946).
Em 1954 publicou The Doors of Perception, onde relata as suas experiências com a mescalina.

Nesta obra, o autor cria uma sociedade que, devido à procura incessante da perfeição, rende-se à tecnologia e à ciência. Tenta assim abolir tudo aquilo que nos torna humanos.

Futura série (2020): IMDB


A sociedade justa

teoria justica

 

Uma Teoria da Justiça

por John Rawls

 

Publicada em 1971, é a obra que mais marcou a filosofia política do século XX. É por isso um texto incontornável nesta área do saber, e nele o autor propõe um itinerário para a descoberta e fundamentação racional dos princípios que devem reger a sociedade justa com base numa argumentação que se situa na confluência de duas correntes culturais distintas: a do utilitarismo e a das teorias do contrato social.

Intervir numa situação de doença neuromuscular

inclusiva

Publicado a 6 de julho de 2018, o Decreto-Lei n.º 54/2018 reitera o compromisso nacional com a educação inclusiva enquanto processo que visa responder à diversidade de necessidades dos alunos através do aumento da participação de todos na aprendizagem e na vida da comunidade escolar.

A este pretexto, no dia 6 de novembro de 2019 decorreu na biblioteca da Escola Básica n.º 2 da Mealhada, uma sessão de formação com o fim de mostrar como intervir numa situação de doença neuromuscular. Tratou-se de uma sessão conjunta envolvendo Educação, Saúde, Sociedade e Família, de acordo com uma perspectiva de “Educação/ Sociedade Inclusiva”,

É inegável que esta é uma missão exigente para profissionais, escola, comunidade e sociedade mais alargada. É uma missão de compromisso ético e social que a todos convoca na reflexão e na ação.

Discurso Entrega de Prémios de Mérito 2019

discursos (2)

A Educação e o Futuro

por Rita Miguel Coimbra Semedo

Boa tarde, colegas, professores, pais e todo o corpo docente e não docente do Agrupamento de Escolas da Mealhada.

É uma honra proferir estas palavras na presença de tanta gente que marcou o meu percurso educativo ao longo dos anos. E é exatamente esse o assunto que venho abordar hoje – a educação. Podemos definir “educação” como “conjunto de normas pedagógicas tendentes ao desenvolvimento geral do corpo e do espírito”.

Immanuel Kant, um filósofo alemão da época iluminista, acreditava que a educação ultrapassava o chamado “treino”, pois defendia que a mesma se devia centrar na razão, no pensamento crítico, nas normas morais e no desenvolvimento do carácter, afirmando “é por isso que se mandam as crianças à escola: não tanto para que aprendam alguma coisa, mas para que se habituem a estar calmas e sentadas e a cumprir escrupulosamente o que se lhes ordena, de modo que depois não pensem mesmo que têm de pôr em prática as suas ideias”. Exige que não se aprendam pensamentos, que não se encha a cabeça das crianças com ideias de outros, porque o que é importante é aprender a pensar (“Importa, antes de mais, que as crianças aprendam a pensar“), e sublinha a educabilidade do homem (“o homem é a única criatura que deve ser educada“). Kant considera que toda a educação deve assentar em princípios, ou seja que a “educação e instrução não devem ser meramente mecânicas”. Um desses princípios, e o de maior importância, expressa-o nestes termos: “eis um princípio da arte da educação que os homens que fazem planos de educação, particularmente, deveriam ter sob os seus olhos: não se deve somente educar as crianças segundo o estado presente da espécie humana, mas segundo o seu estado futuro, possível e melhor, quer dizer, conforme à Ideia de Humanidade e ao seu destino total. Este princípio é de grande importância. Os pais, de ordinário, só educam os filhos com vista a adaptá-los ao mundo atual, por mais corrompido que ele esteja. Deveriam, pelo contrário, dar-lhes uma educação melhor, a fim de que um melhor estado possa de aí surgir no futuro.”. Assim, defende que a educação não tem só como objetivo a preparação e treino do homem, mas também o aperfeiçoamento do mesmo e, consequentemente, da sociedade em que se insere. A tarefa educativa é, por isso, de capital importância.

A meu ver, é este mesmo o objetivo do ensino. Num primeiro plano, alimentar-nos das matérias mais elementares, ensinar-nos os princípios e conhecimentos necessários para passarmos à próxima fase; e num patamar mais elevado, desafiar-nos a vários níveis e nas mais diferentes áreas. Fazer-nos refletir sobre a nossa própria forma de pensar, criarmos as nossas próprias opiniões e aprendermos a defendê-las, adquirirmos forma de inovar perante novas adversidades ou até problemas já existentes desde os primórdios. Sermos capazes de criar um novo olhar sobre o mundo e conhecermo-nos melhor a nós próprios e os nossos valores, sempre acompanhados pelos nossos tutores, sejam eles na forma de familiares, professores ou qualquer outro indivíduo que nos ajude neste processo. Em suma, o objetivo do ensino é ajudar-nos a crescer, quer intelectualmente, quer enquanto pessoas e cidadãos atentos e responsáveis.

Penso que posso falar por todos os meus colegas quando digo que este agrupamento de escolas nunca nos será indiferente, pois não foi apenas o local onde estudámos o abecedário e a tabuada, foi também o local onde nos tornámos quem somos agora, o local em que fomos apoiados para atingirmos os nossos objetivos e um local do qual não saímos a mesma pessoa que éramos quando entrámos. Fomos marcados não só pelo local, mas por todo o corpo docente e não docente que o e nos rodeia. E, por todos os estudantes, agradeço a todos os professores, familiares, auxiliares, pessoal e, a pessoa do responsável máximo do agrupamento, o Sr. Diretor Fernando Trindade, por todo o trabalho e dedicação postos na nossa educação.

Acredito que, mesmo depois de terminarmos estudos, este crescimento nunca parará. Estamos sempre a descobrir coisas novas, maneiras de pensar diferentes e a evoluir – ou, nas palavras de Kant, a aperfeiçoar-nos a nós e, consequentemente, a Humanidade. Portanto, para finalizar, peço que nunca deixem de se melhorar, que nunca deixem de aprender, e, principalmente, nunca deixem de caminhar em direção a um futuro melhor, quer pessoal quer coletivo.

Obrigada a todos e uma boa tarde!

Dia do Diploma

No dia 19 de Outubro, o Agrupamento de Escolas da Mealhada realizou o seu Dia do Diploma, no Cineteatro Messias, no âmbito do disposto na Lei nº 51/2012, de 05 de setembro (Estatuto do Aluno e Ética Escolar), que estipula como direitos do aluno “ver reconhecidos e valorizados o mérito, a dedicação e o esforço no trabalho e no desempenho escolar” e “ver reconhecido o empenhamento em ações meritórias, em favor da comunidade em que está inserido ou da sociedade em geral, praticadas na escola ou fora dela”.

Dado o elevado número de alunos e de famílias envolvidos, tem-se dividido a cerimónia em duas partes. Este ano, a primeira sessão foi reservada para a entrega de diplomas aos alunos até ao 8.º ano de escolaridade e a segunda aos restantes estudantes.

As apresentadoras são ou foram alunas do Agrupamento:

Os diplomas foram entregues pelos Directores de Turma, pelos Coordenadores de Estabelecimento das Escolas Básicas n.º 2 da Mealhada e da Pampilhosa, por dois membros da Direcção da Associação de Pais, pelo Coordenador dos Assistentes Operacionais, pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal e pelo Director do Agrupamento:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Houve atuações de dois grupos de bailado:

da claque que participou nas Escolíadas pela equipa da Escola Secundária:

Este slideshow necessita de JavaScript.

e de um coro:

coro (4)

Houve discursos:

Os finalistas levaram o seu Diploma:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Cine-Teatro esteve cheio das duas vezes:

 

 

Prémio Aga Khan para a Arquitetura

akaa_logo_english_bis

Em 1977, foi criado o Prémio Aga Khan para a Arquitetura, um dos prémios mais prestigiados naquela área de atividade.

Desempenha um papel importante ao influenciar o discurso arquitetónico global e ao promover soluções inovadoras para os problemas com que se deparam muitas sociedades.

É atribuído de três em três anos aos projetos que estabelecem novos padrões de excelência nas áreas de arquitetura, práticas de planeamento, preservação histórica e arquitetura paisagística. É dada atenção a esquemas de construção que utilizem recursos locais e tecnologia adequada de maneiras inovadoras, e com projetos que inspirem esforços semelhantes noutros locais.

Em 2019, um dos projetos premiados foi uma Biblioteca: Microbiblioteca Taman Bima

Este slideshow necessita de JavaScript.

AKDN

Aga Khan, que é tratado como Sua Alteza, é fundador e principal líder da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento. É o 49º Imam (Líder Espiritual) dos Muçulmanos Shia Imami Ismailis (Ismaelitas, um ramo do Xiismo que é, por sua vez, uma das duas principais facções do Islamismo).

O Governo português concedeu ao Príncipe Aga Khan a nacionalidade portuguesa, já que, tendo nascido na Suíça, crescido e estudado no Quénia e nos Estados Unidos, com ligações ao Canadá, Irão e França, escolheu morar e dirigir a comunidade em Portugal.

Shah Karim al Hussaini, príncipe Aga Khan, tinha 20 anos quando se tornou o imã da minoria xiita de 15 milhões de pessoas, espalhadas por todo o mundo, sucedendo ao avô. Para os muçulmanos ismaelitas é descendente direto do profeta Maomé.

As relações com o nosso país são mais antigas, mas estreitaram-se quando em junho de 2015 foi assinado com o Governo português um acordo para o estabelecimento da sede formal e permanente do gabinete do imã em Lisboa. Significa que os Ismaelitas têm a sua sede no nosso país.

No contexto das suas responsabilidades hereditárias, Sua Alteza o Aga Khan tem estado profundamente envolvido, ao longo de mais de 60 anos, no desenvolvimento de países em todo o mundo através do trabalho da Rede Aga Khan para o Desenvolvimento.

REDE AGA KHAN PARA O DESENVOLVIMENTO (Aga Khan Development Network) engloba uma série de agências orientadas para o desenvolvimento e a promoção do bem estar das populações: Academias Aga Khan, Agência Aga Khan para o Habitat, Agência Aga Khan para o Microfinanciamento, Serviços Aga Khan de Educação, Fundo Aga Khan para o Desenvolvimento Económico, Serviços Aga Khan para a Saúde, Fundo Aga Khan para a Cultura, Universidade Aga Khan e Universidade da Ásia Central e a Fundação Aga Khan.

aorganigramme.png

Desenvolve atividades em assuntos muito diferentes como é a agricultura e segurança alimentar, arquitetura, sociedade civil, cultura, educação, desenvolvimento empresarial, inclusão financeira, habitat, saúde, cidades históricas, ajuda humanitária, desenvolvimento industrial, desenvolvimento de infraestrutura, média, música, promoção do turismo.

Esta organização tem uma das principais bases em Portugal, onde intervém nas áreas da inclusão social, nomeadamente dos imigrantes, e na educação.

 

Semana de Ação pelo Clima

000000

Os alunos do 8º B2 do Agrupamento de Escolas da Mealhada não quiseram ficar indiferentes na Semana de Ação pelo Clima. Assim, durante esta semana, escreveram  a letra de uma música e decidiram percorrer o Parque da Cidade no dia 27 de setembro. Neste dia, vestiram camisolas amarelas (para representar a Amnistia Internacional) e verdes ( cor da clorofila e consequentemente dos cloroplastos, estruturas celulares onde se realiza a fotossíntese). Optaram por não usar cartazes, para não utilizar papel que se obtém de árvores.

0000000

Durante o seu percurso apelaram à proteção do nosso planeta entoando a canção que elaboraram:

Foi na Terra que eu nasci

E foi cá que eu cresci

Nasci para te ajudar

E o nosso mundo melhorar

 

Está na hora de agir

O planeta estamos a destruir

 

Sou protetor do ambiente eu sou

Ser sustentável eu vou

Para o mundo salvar

(2x)

Agualusa no Luso

naom_55bc910da3648

 

O escritor José Eduardo Agualusa é o convidado de 2019 do “Cultiva a leitura com…” na vila do Luso, nos dias 14 e 15 de junho.

A iniciativa parte da Junta de Freguesia do Luso, mas tem consigo diversos parceiros entre eles o Centro Escolar do Luso e as bibliotecas escolares do Agrupamento de Escolas da Mealhada.

Nascido em Angola, José Eduardo Agualusa é romancista, contista, cronista e autor de literatura infantil. Já publicou treze romances e diversas coletâneas de contos e de poesia. Os seus livros estão traduzidos em mais de trinta idiomas e os romances, contos e livros infantis têm sido distinguidos com os mais prestigiados prémios: Grande Prémio de Literatura RTP, Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores e Grande Prémio da Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian. “O Vendedor de Passados” e “Teoria Geral do Esquecimento” foram duas obras internacionalmente distinguidas.

“Conta que se tornou escritor em bibliotecas, porque de outra forma nunca teria acesso a tantos livros, e todos os escritores são, antes de mais, grandes leitores. Aliás, o seu primeiro romance, A Conjura, foi em grande parte escrito num a biblioteca pública”.

Programa

dia 14 de Junho – sexta feira

10h – Início do percurso Emídio Navarro (a começar na Fonte de S João)

11h – Encontro com os utentes do Centro Melo Pimenta

Pausa

14h – Encontro com a comunidade educativa no centro Escolar do Luso

16h – Continuação do Percurso Emídio Navarro

Visita ao Casino e às Termas de Luso

dia 15 de junho – sábado

11h – saída para a Mata do Bussaco (ponto de encontro: Grande Hotel de Luso)

Percurso literário – passeio pela mata, com início nas Portas de Coimbra) com leitura de uma selecção de textos

Plantação de uma árvore pelo escritor José Eduardo Agualusa

20h45 – Encontro com o escritor José Eduardo Agualusa

Local: Biblioteca do Casino de Luso

Sunset de poesia em Barcouço

cierre-libro-sobre-mesa-atardecer_30478-3583

Poesia ao pôr do sol

No próximo dia 31 de maio, pelas 19:00, a turma do 4.º ano da Escola Básica de Barcouço irá realizar um Sunset de poesia na Escola com o objetivo de proporcionar um agradável momento de poesia a todos os alunos e convidados.

Esta atividade decorrerá com a colaboração da Biblioteca Escolar e será uma oportunidade para os alunos finalistas desta escola comemorarem em grande o seu final de ciclo, apreciando muito este momento de recitação poética, de leitura ou dramatização de poesia, com e para a comunidade.

Alunos do 4.º ano

E.B. de Barcouço