Questões pedagógicas

WEBINARS

  1. Portal “Forma-te”
  2. Escola Virtual
  3. LEYA

BIBLIOGRAFIA

Um manual universitário do Canadá sobre questões básicas do ensino e aprendizagem com tecnologias digitais. Uma visão global das questões pedagógicas que as TIC têm suscitado. Uma síntese elaborado a várias mãos por especialistas na matéria.

A.W. (Tony) Bates (ed.) – Teaching in a Digital Age : Guidelines for designing teaching and learning, 2019

Cover image for Teaching in a Digital Age

Livro aberto disponível gratuitamente para download sob uma licença Creative Commons CC BY-NC.Coordenado por Tony Bates, conta com a colaboração de diversos especialistas em regime voluntário, embora com todas regras que o rigor académico impõe. Funciona como manual no ensino universitário em mais de 50 cursos.

Examina os princípios que orientam o ensino eficaz com recurso à tecnologia. Destina-se  à tomada de decisões sobre o ensino, ao mesmo tempo em que se entende que cada disciplina é diferente e que cada professor tem algo único e especial para proporcionar no ensino. O livro permite que professores ajudem os alunos a desenvolver o conhecimento e as competências de que precisam na era digital: não tanto as habilidades de TIC, mas o pensamento e as atitudes em relação à aprendizagem que lhes trarão sucesso.

Lançado em 1 de abril de 2015, tem vindo a ser atualizado com a colaboração de diversos autores. É bastante popular em cursos de formação para professores. Foi traduzido para oito idiomas, incluindo Português do Brasil. Porém, nesta versão, o livro só está disponível em forma de livro em papel. Porém, há traduções em Francês e Castelhano, para quem não dominar suficinetemente o Inglês.

Outras publicações do autor.

Ensino online – o que fazer e o que não fazer

Visite o blogue Linha de Leitura,

das Bibliotecas Escolares dos concelhos de Sintra, Cascais, Oeiras e Amadora, onde escreve Carlos Pinheiro, professor bibliotecário, uma das maiores autoridades no domínio das tecnologias digitais aplicadas ao ensino.

Infografias:

Fornece 200 ferramentas digitais para educação : aplicações para as mais diversas funções

Fornece uma série de documentos que podem ser úteis.

Orientações para utilização de tecnologias de suporte ao ensino a distância – tratamentos de dados pessoais efetuados na utilização de tecnologias de suporte ao ensino a distância.

Largura de banda e aprendizagem.

largura banda

Largura de banda, o que é? na prática, trata-se da taxa máxima de transferência de dados de uma rede num determinado momento numa conexão específica, isto é, é a quantidade de informação que se pode obter potencialmente num determinado momento pelo equipamento de que dispomos. A uma mensagem simples de correio electrónico basta-lhe uma largura de banda estreita, uma “viela”, se compararmos com estradas e ruas, já uma videoconferência pode necessitar de uma “auto-estrada” de 3 vias.

Quando decidimos o meio para comunicar com alunos, temos de ter em conta, não só a capacidade dos nossos meios, mas também, e principalmente, os meios que os alunos terão na recepção e no envio de trabalhos. Um vídeo ocupa mais largura do que um ficheiro de áudio, um PDF sem imagens muito menos do que um PDF com muitas imagens, etc. Em suma, o melhor será reservar as videoconferências para momentos muito específicos de interação com alunos e reservar mensagens mais complexas e instruções de trabalho para as funcionalidades de texto e mensagens do Teams.

Estudo em Casa: Recomendações de Segurança [aqui]

A Direção-Geral da Educação em articulação com o Centro Nacional de Cibersegurança e a Comissão Nacional de Proteção de Dados, disponibiliza um conjunto de recomendações e de orientações, a ter em conta na utilização das tecnologias de suporte ao ensino a distância.

 

 

 

 

 

 

 

estamos on rbe