Dia Mundial da Língua Portuguesa.

Primeiro Dia Mundial da Língua Portuguesa

Instituto Camões: iniciativas

Eurocid – Centro de informação europeia Jacques Delors: documentos

Expresso: da minha janela para o mundo ouve-se a língua portuguesa. Neste primeiro dia mundial de 260 milhões de pessoas, a festa acontece na Internet

ONU News: 1 e 2

RTP

image_content_2964558_20200505081435maxresdefault

 

Centenário de Sophia na Pampilhosa

IMG_20191217_104505IMG_20191217_104451

No Centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919 — 2004), as Bibliotecas Escolares têm promovido uma série de evocações da poeta.

Desta feita, na biblioteca da EB 2 da Pampilhosa fez-se uma exposição com material visual e de texto sobre a obra e a personalidade da autora.

 

Bicentenário da Batalha do Bussaco

Esta manhã assistimos às cerimónias militares e protocolares do Exército Português, junto ao monumento evocativo da Batalha do Bussaco, no monumento que existe na Serra do Bussaco. Estiveram presentes os alunos da nossa escola dos níveis do Ensino Básico, devidamente enquadrados por professores, assim como alunos das outras escolas do novo Agrupamento.

Este momento solene foi presidido pelo Presidente da República Portuguesa, Aníbal Cavaco Silva, como estava previsto. Contou com a presença do Sr.º Presidente da Câmara da Mealhada, que proferiu uma alocução, das mais elevadas patentes do Exército e do Duque de Kent em representação do Reino Unido. Também estiveram presentes outras individualidades civis e religiosas, de entre as quais salientamos o Ministro da Defesa e o Sr. Bispo da Diocese de Coimbra.

Na parada do monumento estavam alinhados dois pelotões do Exército fardados modernamente, uma banda e militares fardados ao estilo da época em que se travou a Batalha, incluindo Cavalaria, o que deu à cerimónia um colorido muito característico deste género de comemorações. Também esteve presente um grupo de militares do exército britânico fardados modernamente, os quais ocuparam o espaço situado do lado esquerdo da tribuna de honra. Do lado oposto havia um grupo de pessoas que envergavam fardas ao estilo da época das guerras napoleónicas, algumas envergando fardas do exército francês.

Notámos um número significativo de populares a assistir, embora as condições reservadas ao público não militar não fossem as melhores nem permitissem que um maior número de pessoas pudessem assistir às comemorações de forma digna.

De salientar que notámos a presença de civis estrangeiros. Tomámos a iniciativa de perguntar a alguns a razão da sua presença e esclareceram-nos que estavam ali de propósito para assistir às comemorações uma vez que antepassados seus participaram nos combates e essa memória tinha perdurado nas suas histórias familiares. Eram britânicos e um deles até terá vindo da Austrália, de onde é natural. Este facto permite-nos confirmar que certos povos ainda mantêm apreço pela sua História, cultivam as suas memórias e celebram os seus antepassados com orgulho.

Programa das comemorações: