UNIMARC

UNIMARC é o acrónimo de Universal Machine Readable Cataloging e estabelece o formato normalizado internacionalmente dos registos bibliográficos de forma a serem lidos por máquinas, ou seja, trata-se de uma linguagem de catalogação para ser lida por computador.

A norma que instituiu o UNIMARC é a ISO 2709 (1981) e destina-se a facilitar a permuta dos registos das diversas bibliotecas entre sim, daí a designação Universal.

O formato MARC (Machine Readable Cataloging – catalogação legível por máquina) foi desenvolvido nas décadas de 1950 e 1960, num processo liderado pela biblioteca do Congresso, e está operacional desde 1969. Foi criado para que fosse possível inserir os dados de um registo bibliográfico num computador e serem geridos informaticamente através de uma estrutura universal, uma vez os campos são identificados por algarismos e sinais, legíveis seja qual for a língua em que se expresse o catalogador. Mas depressa apareceram as variantes nacionais: Estados Unidos – USMARC, Reino Unido – UKMARC, França – InterMARC, Canadá – CanMARC, Austrália – AUSMARC, Noruega – NORMARC, Dinamarca -DANMARC2, China – CMARC, Coreia -KMARC. A harmonização entre o USMARC (americano) e o CanMARC (canadiano) resultou no MARC 21.

Para servir de “tradutor” a todas estas variantes, a IFLA (International Federation of Libraries Association) criou o UNIMARC em 1977. Esta versão foi melhorada em 1980 e 1983 viradas para a catalogação de monografias e periódicos, harmonizando o UNIMARC com o ISBD. Em 1987, acrescentaram-se novos formatos e suportes bibliográficos e, em 1991, juntou-se a possibilidade de fazer a catalogação de autores.

A IFLA criou em 1991 um Comité Permanente (PUC) do UNIMARC,  formado por técnicos de vários países, para controlar e definir todas as evoluções do formato. Esta estrutura tem funcionado com base no documento UNIMARC Strategic Programme.

Hoje, o UNIMARC tornou-se o formato oficial de MARC em França, Itália, Rússia, Portugal, Grécia e outros países. Recentemente foi adoptado como formato comum aos países da União Europeia. Contudo, em Portugal há instituições que adoptaram outros formatos, como é o caso da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. Ver exemplos comparativos abaixo.

Exemplo:

Bibliotecas da Mealhada

Versão formato ISBD:

unimarc

Versão UNIMARC:
MFN 27349
Leader 00905nam 2200277 450
001 PT3050-10-00-2006021423590003063
005 200909291154
010 ^a972-38-0603-7
100 ^a20060214d2000 k y0porb0103 ba
101 0 ^apor
102 ^aPT
105 ^aa m 001yy
106 ^ar
200 1 ^a<Os >Maias^eepisódios da vida romântica^fEça de Queiroz^gfixação do texto e notas de Helena Cidade Moura
210 ^aLisboa^cLivros do Brasil^d2000
215 ^a718 , [1] p.^d21 cm.
225 2 ^aObras de Eça de Queiroz^v5
305 ^ade acordo com a 1ª ed. (1888)
606 ^aLiteratura portuguesa
675 ^a82-31^vBN^zpor
675 ^a821.134.3QUEIRÓS, Eça de.01-31^vBN^zpor
700 1^aQueirós^bEça de^f1845-1900
702 1^aMoura^bHelena Cidade^4675
801 0^aPT^bESM^gRPC
955 ^n7^bADMIN^a20060214^dADMIN^c20060626
966 ^a70003417^lESM^s82 QUEIRÓS, Eça de -31
909 ^a1

Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra

Versão “normal” (terminologia da BGUC)

bguc

Versão MARC21
LEADER 00000nam  2200205 i 4500 
001    x694686009 
008    010724s1999    po |||| r|||| 001|||por   
020    9723806037 
080    821.134.3|x-2|x"19"|2BN|zpor 
100 1  Queirós, Eça de,|d1845-1900. 
245 13 Os Maias :|bepisódios da vida romântica /|cEça de Queirós 
       ; fixação do texto e notas Helena Cidade Moura. 
260    Lisboa :|bLivros do Brasil,|c1999. 
300    718, [2] p ;|c21 cm. 
440  0 Obras de Eça de Queiroz ;|v5 
700 1  Moura, Helena Cidade,|d1924-2012,|4aut 
907 00 m|ca|dm|e0|fDL|g030729|h0|i010724