Características

A Classificação Decimal Universal (CDU) é um instrumento de que as bibliotecas se servem para atribuir a cada documento (livro, DVD, etc.) um assunto (ou vários, se houver) que o identifique, usando para isso uma linguagem própria das bibliotecas, controlada, e que se exprime por algarismos, certos símbolos e letras. É uma espécie de código secreto já que, para se entender a sua linguagem, é preciso consultar umas tabelas que contêm os termos dos assuntos (descritores) e os símbolos que representam esses  termos. Além da tabela dos temas com os números que os representam, há outras tabelas com símbolos auxiliares para especificar melhor o assunto que o documento trata.

Cada documento (livro, DVD, etc.) contém informação e essa informação pode ser resumida num assunto (ou em vários, se for o caso). Depois de analisar o documento, os bibliotecários identificam esse tema (ou temas) e “traduzem” para uma linguagem em código, a CDU. Quando alguém quiser consultar um ou vários documentos que tratem um determinado assunto, é só procurar pelo código certo, depois de se consultar as tabelas, e localizá-lo ou, em linguagem de biblioteca, recuperá-lo.

  • Trata-se de uma CLASSIFICAÇÃO porque pretende atribuir a um determinado tema ou assunto do conhecimento humano uma classe através de uma notação em algarismos e, por vezes, por letras e outros símbolos.  Por outras palavras, considera-se que o conhecimento humano é passível de ser dividido em classes, correspondendo cada tema ou assunto a uma delas, e que cada uma pode ser dividida, por sua vez, em subclasses hierarquicamente dependentes da classe onde está inserida. As tabelas da CDU estão organizadas num sistema coerente que representa o conhecimento humano, com as respectivas relações associativas e  referências entre conceitos e áreas afins
  • Assenta no SISTEMA DECIMAL, isto é, prevê 10 classes (da 0 à 9). Baseia-se no conceito de que todo o conhecimento pode ser dividido em 10 classes principais e que estas podem ser infinitamente divididas numa hierarquia decimal (Classe = tema, subclasse = tema subordinado ao primeiro, por aí fora, até ao assunto mais específico que se possa imaginar, numa relação hierárquica).
  • É uma ORDENAÇÃO UNIVERSAL porque o resultado final deverá ser decifrado por toda a gente, independentemente da língua ou sistema de escrita que dominem. Daí a notação feita através de algarismos, uma linguagem percebida universalmente.

Classificação como linguagem documental

A CDU é, tecnicamente falando, uma linguagem de indexação de documentos sob a forma de um sistema de classificação que abrange todo o conhecimento universal. Está concebida para a descrição do tema e a indexação pelo assunto dos recursos informativos, seja qual for o suporte, a forma, o formato ou a linguagem.

É do tipo de classificação por facetas, também conhecido por analítico-sintético. Significa que é usada para análise dos temas que se destacam e na determinação do ponto de vista (faceta) pelo qual deve ser identificado.

Trata-se uma linguagem documental, uma vez que deriva de uma convenção e destina-se a registar o conteúdo de um documento para mais tarde poder ser recuperado através de uma pesquisa. É artificial porque resulta de uma convenção e não do desenvolvimento natural da linguagem usada habitual por todos nós.

Uma classificação é uma linguagem categorial de estrutura hierárquica. Ou seja, categorial porque o conhecimento se encontra estruturado em categorias, em classes, e a cada uma corresponde um código (notação).  A estrutura é hierárquica  pois reúne as diversas categorias ou classes numa relação por afinidade do assunto em comum e hierarquiza-as desde o assunto mais geral, até ao mais específico. Ou seja, a um tema mais geral subordina-se um outro que esteja relacionado com o primeiro, mas que trata o assunto a um nível mais específico. O assunto “ciências naturais e exactas” é um tema geral, ao qual se subordina, por exemplo, a matemática, a física, a química e outras ciências. Depois, em cada uma destas classes existe um conjunto de temas que lhes estão subordinadas e assim sucessivamente até ao nível mais específico que se tiver interesse em chegar.

Nas classificações usam-se índices com símbolos que são usados na notação, Assim, no exemplo demos acima, ao primeiro tema atribuímos a notação 5, aos restantes, como subclasses, a notação 51 a matemática, 53 a física, 54 a química. Estes números são meras convenções e servem para este fim como símbolos.

Uma linguagem de indexação é um conjunto de descritores que podem ser usados para atribuir a um documento conceitos que identifiquem o conteúdo dos documentos num sistema de armazenamento e recuperação de informação.