Reunião de trabalho da equipa

IMG-3964
A equipa das bibliotecas (da esq. para a dir.): Maria Felismina Seco, Ana Margarida Baptista, Maria de Jesus Costa, Maria Corália Simões, Maria Alice Felício, Ana Maria Carapeto, Amélia Santos, Pedro Semedo e Helena Duque (Coordenadora Interconcelhia).

Hoje, dia 18 de dezembro, pelas 10:00 horas, a equipa das Bibliotecas Escolares do Agrupamento reuniu-se para fazer um balanço das atividades realizadas no primeiro período, coordenar as próximas iniciativas e reavaliar o plano a cumprir no final do segundo período e no terceiro período.

Esteve presente a Coordenadora Interconcelhia da RBE Helena Duque, que veio trazer uma salutar visão crítica e propor algumas estratégias de formação da equipa.

Fez-se um intervalo para almoço, momento reservado para as conversas mais informais e para fomentar a coesão da equipa, que contou com Isabel Pinheiro, membro da equipa do ano passado.

 

 

 

Concurso Nacional de Leitura

CNL

(clicar na imagem para aceder à página oficial do CNL)

O Agrupamento participa mais uma vez no Concurso Nacional de Leitura e a equipa das Bibliotecas Escolares elaborou um regulamento para a fase de escola.

Mais uma vez, o regulamento emitido pelo Plano Nacional de Leitura 2027 sofreu alterações de última hora, além de que prevê um calendário pouco adequado ao ritmo das atividades escolares.
Como alguém disse, são muitas entidades (e respectivos interesses) envolvidas e nem sempre as decisões são as que mais de adequam à escolas.
A equipa das BE do Agrupamento tem-se empenhado em resolver os problemas colocados e apresentar soluções que não perturbem o normal desenrolar das atividades letivas, pelo que elaborou um regulamento que, respeitando as regras estipuladas a nível nacional pelo PNL2027, se adapte ao calendário do Agrupamento.

Regulamento nacional:

frame

 

Isabel Zambujal na Mealhada: um balanço

zambujal

Para ver o vídeo, clique na imagem.

Entre 13 e 15 de novembro, a escritora Isabel Zambujal esteve no Agrupamento de Escolas da Mealhada a apresentar a sua obra e conversar com os alunos sobre escrita, criação, literatura e livros.

A atividade foi levada a cabo pela equipa das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas da Mealhada e pelos professores(as) do Primeiro Ciclo do Ensino Básico e Educadores(as) dos Jardins de Infância, de acordo com o Plano Anual de Atividades.

Em algumas sessões, estiveram também presentes Encarregados de Educação e familiares dos alunos.

Estiveram presentes todos os alunos da da Escola Básica n.º 1 da Mealhada, da Escola Básica do Luso, Escola Básica de Casal Comba (excepto pré-escolar), Escola Básica e Jardim de Infância de  Antes e Escola Básica de Barcouço.

Esta atividade implicou um planeamento muito bem elaborado e envolveu a colaboração das escolas, dos professores e educadores e também da Câmara Municipal da Mealhada e Biblioteca Municipal da Mealhada. As sessões das EB de Casal Comba e Antes foram efectuadas na Biblioteca Municipal e o autocarro que transportou os alunos foi financiado pela Câmara Municipal da Mealhada. Tratou-se de uma operação que envolveu muita gente e vontades e acabou por correr como foi planeado, com serenidade.

O coordenador da equipa das Bibliotecas Escolares vem por este meio agradecer muito às seguintes pessoas:

  • à sua colega Professora Bibliotecária, Dr.ª Amélia Santos, que foi quem promoveu,  planeou e coordenou a atividade.
  • à editora e à autora pela disponibilidade. Foram 3 dias muito intensos e exigentes.
  • às nossas colegas que neste ano prestam serviço nas bibliotecas das escolas do primeiro ciclo, pelo empenho.
  • aos colegas professores e educadores que colaboraram sem reservas.
  • aos coordenadores de estabelecimento.
  • aos membros do pessoal não docente pela ajuda.
  • aos serviços de Educação da Câmara Municipal da Mealhada, ao sr. vereador Dr. Guilherme Duarte e demais elementos da CML que apoiaram a nossa iniciativa.
  • aos colegas da Biblioteca Municipal da Mealhada pela disponibilidade.
  • aos pais e encarregados de educação que apoiaram a nossa iniciativa.

A peça “A viúva e papagaio” na Mealhada a 29 de março

CARTAZ-geral-724x1024

No próximo dia 26 de março, ir-se-á realizar um espetáculo de teatro a partir de uma adaptação do conto A Viúva e o Papagaio de Virgínia Woolf.

Esta obra está incluída na lista das metas curriculares do 5º ano, sendo leitura obrigatória no Plano Nacional de Leitura.

Trata-se de um conto imprevisível e entusiasmante, que acompanha a aventura da Srª Gage na procura da herança inesperada que o seu irmão lhe deixou, contando com a ajuda de James, um papagaio invulgar.

As turmas a que se destina esta atividade são as do 5º ano do Agrupamento de Escolas da Mealhada.

 A peça terá aproximadamente uma duração de 50/ 60 minutos e depois os alunos poderão colocar questões aos atores e realizar uma visita aos bastidores.

A EB de Casal Comba colabora com a Ajudaris

ajudaris

Clicar, por favor, na imagem para ver um pequeno filme sobre a atividade.

A Ajudaris é uma associação particular de carácter social e humanitário de âmbito nacional, sem fins lucrativos, considerada de utilidade pública desde 2008. Sem ajudas estatais, desenvolve projectos de intervenção social que visam combater a fome, a pobreza e a exclusão social, através da capacitação e da educação.

Dos diversos projetos que desenvolve, conta-se o “Histórias da Ajudaris”. Trata-se de um desafio anual às escolas e que envolve a escrita de uma história sob uma temática ligada à cidadania. Criado em 2009, envolve mais de 900 estabelecimentos de ensino solidários e, entre crianças, pais, professores, figuras ilustres e voluntários, contam com cerca
de 40 000 pessoas envolvidas no mesmo, intensamente empenhadas na concretização e
alargamento deste projeto que promove a leitura, a escrita e a cidadania.

A Escola Básica de Casal Comba participou no projeto e os alunos escreveram duas histórias, uma das quais foi seleccionada para ser editada em livro. Cada livro apresenta um grosso volume editado com cuidado e cada história é acompanhada por uma ilustração elaborada por voluntários.

No passado dia 23, o livro foi apresentado na Biblioteca Municipal da Mealhada, pelas 18 horas, na presença de um representante da Ajudaris, membros da equipa das Bibliotecas Escolares, professores e alunos da Escola de Casal Comba, acompanhados por familiares que enchiam a sala.

Para além do objectivo solidário, esta actividade motiva os alunos para a escrita e a leitura. Os professores foram fundamentais para que os trabalhos dos alunos atingissem um bom nível e um deles fosse seleccionado para publicação.

Os spots dos alunos do AE Mealhada

cartaz_pincaros2

O Agrupamento de Escolas da Mealhada participou no concurso “Põe a tua terra nos píncaros 2” que este ano tinha como tema “Um herói da tua terra”, promovido pela Rádio Miúdos.

Esta atividade envolve escolas e autarquias.

De acordo com o regulamento, as escolas podiam participar elaborando spots de áudio até 5 minutos sobre uma personalidade local que considerem um “herói”.

Concorreram 4 grupos:

  • Escola Básica n.º 1 da Mealhada (spot)
  • Escola Básica de Barcouço (spot)
  • Escola Básica n.º 1 da Pampilhosa (spot)
  • Escola Básica do Luso (spot)

A Equipa das Bibliotecas Escolares, coordenadora da atividade, agradece muito o empenho e entusiasmo de professores, alunos e pais e encarregados de educação que escreveram os textos em contexto de turma, ensaiaram os participantes e gravaram os sons. Também agradece aos serviços de Educação da Câmara Municipal da Mealhada pelo apoio.

Rómulo – Centro Ciência Viva da UC e a divulgação da Matemática

Divulgamos uma notícia do

fd530-publico

A matemática não é só contar carneiros e outras histórias de divulgação científica

Carlos Fiolhais fundou o Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra que assinala esta sexta-feira dez anos a fazer chegar a ciência a vários públicos, de crianças do ensino básico a universidades seniores.

Carlos Fiolhais começou a percorrer escolas para divulgar ciência em 1983. Inês Guimarães iniciou-se nesse papel em 2015, embora noutro registo. Mudam-se os tempos, mudam-se os meios técnicos. A jovem de 20 anos que está no terceiro ano de Matemática na Universidade do Porto chega a uma audiência de milhares a partir do YouTube. O seu canal, ?MathGurl, em que aborda desafios e curiosidades matemáticas, conta com 65 mil subscritores. O que, não entrando no campeonato dos milhões de seguidores dos youtubers mais populares, já é um número significativo quando o assunto é o “papão da matemática”.
Vídeos de Inês Guimarães:

Astronauta na Mealhada

Astronauta Análogo João Lousada fala para os alunos da Mealhada

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

No passado dia 6 de novembro, o astronuta análogo João Lousada, membro da equipa da Agência Espacial Europeia (ESA) em  Munique, esteve na Escola Secundária da Mealhada para falar aos alunos sobre o seu trabalho.

Em duas sessões, todos os alunos de 7.º e 8.º anos passaram pelo auditório, tendo assistido a uma palestra em que, não só contactaram com o único português a trabalhar numa estação espacial, mas, sobretudo, puderam conhecer todo o trabalho que é necessário desenvolver em Terra antes que seja possível enviar qualquer missão para o espaço.

Alunos e professores puderam perceber a importância da exploração espacial. De uma forma muito clara e com grande proximidade falou da sua experiência no deserto de Oman e das diferentes missões. Foi fácil perceber como se faz a monitorização dos astronautas, as características dos fatos e as atividades do dia a dia tão elementares como lavar o cabelo ou os dentes.

O balanço foi muito positivo e todos ficámos mais ricos.

Isabel Zambujal na AE Mealhada

DIAPORAMA DA APRESENTAÇÃO DA AUTORA: também em ppt

Este slideshow necessita de JavaScript.

Encontros de autor

A equipa das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas da Mealhada, em colaboração com os(as) professores(as) do Primeiro Ciclo do Ensino Básico e com os(as) Educadores(as) dos Jardins de Infância, de acordo com o Plano Anual de Atividades , vai promover nos próximos dias 13, 14 e 15 de novembro, encontros com a escritora Isabel Zambujal, que fará a apresentação de algumas das suas obras de literatura infantil junto dos alunos daqueles níveis de escolaridade.

Os Encarregados de Educação e familiares também estão convidados.

A autora também estará disponível para autografar os seus livros.

CALENDÁRIO:

13 de novembro

Auditório da Escola Básica n.º 1 da Mealhada

09:30: 4ºano – 4º A e 4º B; 3º ano –3º C

11:00: 3º ano – 3º A e 3º B; 2º ano – 2º A e 2º B

14:15:  2º ano – 2º C; 1ºano – 1º A, 1º B e 1º C

14 de novembro

Escola Básica do Luso

09:30 –  2.º, 3.º e 4.º anos

11:00 – Pré-escolar e 1.º ano

Auditório da Escola Básica n.º 1 da Mealhada

14:00 – Pré-escolar – JM- A e JM-B

15 de novembro

Biblioteca Municipal da Mealhada

10:00 e 1100 – Casal Comba (1.º CEB) e Antes (Pré-escolar + 1.º CEB)

Escola Básica de Barcouço

14:00 – Escola Básica de Barcouço – 1.º, 2.º, 3.º e 4º anos CEB.

O Último Catão, de Matilde Asensi

O-Ultimo-Catao

O Último Catão,

de Matilde Asensi

Sinopse: Uma apaixonante viagem pela história e pelos segredos mais bem guardados do cristianismo. Sob o solo da Cidade do Vaticano, encerrada entre códices no seu gabinete do Arquivo Secreto, a irmã Ottavia Salina recebe o encargo de decifrar as estranhas tatuagens aparecidas no cadáver de um etíope: sete letras gregas e sete cruzes. Junto ao corpo foram encontrados três pedaços que tudo indica pertencerem à Vera Cruz, a verdadeira cruz de Cristo. Acompanhada por um arqueólogo de Alexandria, e pelo capitão da Guarda Suiça vaticana a protagonista deverá descobrir quem está por detrás do misterioso desaparecimento das relíquias nas igrejas de todo o mundo…

Opinião:

Blogue Dos Meus Livros: “Mais um sucedâneo do Código da Vinci? Garantidamente, não! “O último Catão” prima pela originalidade, rigor, criatividade e aquela “leveza” cativante que se sorve do género policial, associada ao encanto do romance histórico. Matilde Asenci é nada menos que a escritora espanhola mais lida na actualidade. Este livro vendeu mais de um milhão de exemplares em Espanha.” [Continua]

 

Mensagem da Sr.ª Coordenadora da Rede de Bibliotecas Escolares

mibe1

Caro/a Professor/a bibliotecário/a,

Outubro, mês dedicado às bibliotecas escolares incentiva-nos ao reforço desta REDE e à reflexão sobre o lugar da biblioteca naquele que é o processo de formação da criança e do jovem.

Suportados no valor do saber e da aprendizagem procuramos conciliar respostas ajustadas aos desafios mais gerais da educação, perseguindo os nossos propósitos de sempre: atender aos diferentes perfis dos nossos alunos com respostas adequadas às suas necessidades individuais.

Colaboração, inovação, inclusão, … algumas das marcas que têm acompanhado o desenvolvimento da RBE e que vão ao encontro das medidas educativas ministeriais preconizadas para este ano. Para as bibliotecas escolares é a oportunidade de reforçar a sua intervenção, participando ativamente neste desígnio e estreitando o trabalho colaborativo entre a biblioteca e os docentes das diferentes áreas curriculares, contribuindo para a flexibilidade das aprendizagens.

Igualmente, a multiplicidade de saberes e competências e o carácter mais humanista da formação do aluno, previsto no Perfil dos alunos no final da escolaridade obrigatória têm, na biblioteca, um suporte e um apoio indispensáveis.

A relação privilegiada, de proximidade, que desenvolvemos nesta REDE, permitirá continuarmos a encontrar as melhores respostas aos múltiplos desafios que, permanentemente, nos confrontam. Nesse sentido, o desenvolvimento da RBE tem tido como pilar estruturante o lançamento anual de diferentes candidaturas que amplificam as possibilidades das bibliotecas adequarem os projetos à sua realidade ao mesmo tempo que proporcionam percursos inovadores diversificados.

Para uma efetiva conjugação de esforços entre todos destacámos, este ano, um conjunto de áreas prioritárias que nos parecem essenciais para consolidar o nosso trabalho.

Naturalmente, a leitura, transversal que é, na nossa ação, destaca-se perspetivando-se mais verticalmente. Convictos da importância da promoção de um trabalho que envolva toda a comunidade escolar propusemo-nos encontrar modos de melhor garantir o acesso à leitura, tornando-a numa prática quotidiana nas nossas escolas. Apresentámos, por isso, um conjunto de propostas ajustáveis para serem promovidas em escolas do 1º ciclo e em jardins-de-infância – Roteiro para uso das bibliotecas escolares: escolas do ensino básico e Jardins-de-infância.

Sendo a formação de bons leitores o primeiro e último desígnio do trabalho nas bibliotecas, estão criadas múltiplas oportunidades de desenvolvimento desta prática através das candidaturas: Ideias com mérito, Biblioteca digital, Leituras… com a biblioteca, Todos juntos podemos ler e de projetos como Miúdos a votos, Clássicos em rede, SOBE+ e, mais recentemente, Cientificamente provável.

Além disto, temos tido a preocupação de inscrever no nosso plano de formação anual, propostas que equacionam a leitura hoje e fazem da biblioteca o polo catalisador desta dinâmica.

Lugar de interseção entre pessoas, conhecimentos e valores, a biblioteca escolar pode e deve favorecer exercícios de cidadania que apetrechem os alunos com ferramentas que lhes permitam uma maior consciência de si próprios, do seu lugar no mundo e da sua relação com o outro.

 

Vivemos tempos acelerados de mudança. A forma como acedemos à informação, como nos relacionamos e como lemos impõe a reflexão e adoção de medidas consentâneas com essa realidade. A biblioteca escolar deve, cada vez mais ser um espaço aberto, itinerante na comunidade, que crie estratégias concertadas para que o gosto pela leitura se torne central para os alunos, tanto na sua vida académica como nas suas atividades de lazer, levando-os a ler, escrever e criar produtos com valor nos vários ambientes em que vivem.

A biblioteca, espaço de encontro e de troca a diferentes níveis, deve procurar diversificar os contextos de leitura, realizar um trabalho de curadoria e provocar permanentemente a comunidade para a criação colaborativa de oportunidades de aprendizagem estimulantes para os alunos.

mibe2

A resposta a estes desafios tem de ser individual e coletiva. Por isso, perante a proposta de reflexão lançada este ano pela IASL para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar, respondemos individualmente, com a dedicação que cada um põe no seu trabalho, e em rede, com a consciência de que:

Com a Biblioteca Escolar TODOS LEEM;

Com a Biblioteca Escolar TODOS COMUNICAM;

Com a Biblioteca Escolar TODOS DESCOBREM;

Com a Biblioteca Escolar TODOS PARTILHAM;

Com a Biblioteca Escolar TODOS CRIAM;

Com a Biblioteca Escolar TODOS INTERVÊM.

Aos professores bibliotecários, docentes das equipas das bibliotecas escolares, assistentes operacionais e alunos, desejo que a celebração em torno do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares se traduza num ano inteiro de boas experiências!

Votos de bom trabalho!

Manuela Pargana Silva

mibe3

Maria Rui

maria rui
Requiescat in pace

Recebemos durante o fim de semana a notícia que temíamos há algum tempo: a nossa colega Maria Rui Umbelino faleceu.

As Bibliotecas Escolares do Agrupamento homenageiam publicamente a vida desta nossa colega e amiga, exemplo maior de profissionalismo e entrega, de inteligência e cultura, de serenidade e coragem.

Para além das excelentes relações pessoais que se foram desenvolvendo no âmbito profissional, a Maria Rui foi uma amiga das Bibliotecas.

Na foto, surge como membro do júri numa atividade  que desenvolvemos, tarefa a que, nas várias ocasiões que lho solicitámos, nunca negou dar o seu contributo.

 

Preparar a prova

9

Preparar a Prova Final 2019

Português – 9.º Ano

FERNANDA BELA DELINDRO
MARIA JOÃO PEREIRA
Areal Editores
Concebido para ajudar o aluno a preparar-se, ao longo do ano letivo, para realizar com sucesso a Prova Final de Português do 3.º Ciclo do Ensino Básico.

Tal como o Programa da disciplina, está organizado por domínios: Oralidade, Leitura, Educação Literária, Gramática e Escrita.

Tem em conta todos os conteúdos de 7.º, 8.º e 9.º anos sujeitos a avaliação na Prova Final.

Este livro inclui os conteúdos que permitem ao aluno esclarecer as suas dúvidas e inúmeros exercícios e instrumentos que lhe permitem consolidar aprendizagens e preparar-se para enfrentar com mais confiança e otimismo a Prova Final:

• Documentos áudio e exercícios, para treinar a compreensão do oral.
• Sistematização de todos os conteúdos, por domínio.
• Exercícios resolvidos e explicados (rubrica “Vê como se faz”).
• Exercícios propostos (por domínio e por tópico de conteúdo).
• Esquemas e quadros de sistematização.
• Exercícios semelhantes aos da Prova Final (rubrica “Pratica para o Exame”).
• Provas-modelo e provas oficiais.
• Propostas de resolução de todos os exercícios e provas.

Preparar o Exame

12

Preparar o Exame Nacional 2019

Português – 12.º Ano

FERNANDA BELA DELINDRO
MARIA JOÃO PEREIRA
Areal Editores

Desenvolvido para preparar os alunos que frequentam o Ensino Secundário para a realização do Exame Final Nacional de Português.

Este livro inclui:
– Dicas e estratégias para o exame
– Resumos para o exame: 10.º, 11.º e 12.º anos
– Mais de 100 questões de exame resolvidas (secção Aprendo como se faz)
– Mais de 400 questões de exame propostas (secção Agora faço eu)
– Análise das obras do Programa
– Provas-modelo e provas de exame
– Resolução de todos os exercícios

Este livro inclui ainda, para além de recursos disponíveis exclusivamente em suporte digital, audiossínteses com o essencial dos conteúdos de Educação Literária de 10.º, 11.º e 12.º anos, que permitem aos alunos, em pouco tempo, escutar o essencial dos conteúdos que têm de saber para o exame.

Uma nova gramática

250x

Gramática Prática de Português

3.º Ciclo do Ensino Básico e Ensino Secundário

Da Comunicação à Expressão

de

  • M. Carmo Azeredo Lopes,

  • M. Isabel Freitas M. Pinto

  • M. Olga Azeredo

Ferramenta essencial para todos os alunos, do 7.º ao 12.º ano. Ideal para a consulta em aula ou, autonomamente, em casa.

• Segue os Novos Programas, as Metas Curriculares e as Aprendizagens Essenciais.
• Utiliza a terminologia prevista no Dicionário Terminológico.
• Parte de exemplos significativos de diferentes registos.
• Conduz à reflexão sobre o funcionamento da língua, através de explicações simples.
• Sistematiza todos os conteúdos abordados.
• Inclui tabelas com a conjugação dos verbos regulares e irregulares.

Novidade: Endgame

endgame_n

Endgame

A Chamada

de James Frey

Opinião de uma mãe:

“Este livro é uma forma muito inteligente de colocar os jovens “fanáticos por jogos de computador” a ler. Como mãe, foi esse o meu objectivo, incentivar a leitura através de uma tema que lhes é muito actual – Os jogos multimédia! Para além da leitura é uma experiência fantástica e alucinante que os prende de tal forma, que só largou o livro quando o terminou de ler. Recomendo vivamente aos pais com filhos que gostam de explorar o mundo virtual.”
Susana Rodrigues, in WOOK

Prezi colocações no Ensino Superior de alunos da ESM

Uma apresentação em Prezi sobre os alunos concorrentes ao Ensino Superior da Escola Secundária da Mealhada em 2018.

No sábado passado, dia 29 de Setembro, a apresentação foi exibida na cerimónia do Dia do Diploma.

Sabemos que alguns alunos, cujo caso não está representado no documento, foram colocados em instituições que não integram o Ensino Superior Público de Portugal. Porém, não temos informação precisa desses casos e não os pudemos referir na apresentação.

prezi2018
(clicar na imagem para ver a apresentação)

Mensagem de Teresa Calçada, Comissária do PNL 2027

9335279_EKrzf

Aos Leitores

Ler é um prazer. Mas só para alguns. Para quem cresceu entre livros, por exemplo, e conquistou, a cada página lida, o gosto pela leitura. Ao mesmo tempo, descobriu que cada livro guarda dentro outros mundos, outras pessoas, outros lugares, outros tempos, outras memórias, outras formas de ser, de estar, de sentir, de comunicar, de rir… E essa descoberta, intimamente ligada à preservação da capacidade de espanto que caracteriza a infância, terá sempre alimentado a vontade de continuar a ler. Por prazer, não por obrigação.

Não é muito diferente do que acontece com outras atividades que preenchem o nosso quotidiano, como comer ou fazer exercício físico. Comer pode ser um prazer, para quem desde cedo aprendeu a distinguir o sabor dos alimentos; fazer exercício físico também pode ser um prazer, para quem cresceu a fazer cambalhotas e pinos, a jogar à bola e a correr atrás dos amigos. É certo que todas estas atividades, sendo à partida naturais, implicam depois uma decisão e uma prática. No caso da leitura, essa decisão e essa prática dependem, muitas vezes, de quem nos rodeia: das famílias, dos amigos, dos professores… Se quem nos rodeia tiver a capacidade de nos contaminar com boas leituras, leituras que alimentem a nossa curiosidade e estimulem a nossa imaginação, de certeza que cresceremos leitores.

É também esse o momento em que se torna fundamental o papel do Plano Nacional de Leitura, fornecendo coordenadas para que a leitura se torne um prazer, isto é, sugerindo livros capazes de entusiasmar não apenas os que já são leitores, como aqueles que ainda não são. Funciona como um mapa, útil em qualquer viagem, sobretudo em viagens por territórios desconhecidos, e pode ser usado para orientar leitores de todas as gerações. Assim como para dar pistas para que as famílias e os professores saibam o que partilhar com os leitores mais novos, e até entre si.

Essa troca — de professores com alunos, de famílias com professores, de pais com filhos — é essencial para formar leitores e para, no meio das dezenas de livros que são diariamente publicados em Portugal, distinguir os melhores. Só deste modo será possível criar uma rede em que os livros, escolhidos por especialistas, possam circular pelas mãos dos leitores, os que já o são e os que se tornarão. A leitura implica essa prática. E essa conquista.

 

Com os melhores cumprimentos,

Teresa Calçada,

Comissária do Plano Nacional de Leitura 2027

O futebol e os livros

mw-860

(clicar na imagem para ler na íntegra a segunda parte da entrevista ao treinador Manuel José à jornalista Alexandra Simões de Abreu, publicada em 22 de julho no Expresso Tribuna; a primeira parte pode ser lida aqui )

Manuel José é uma personalidade interessante, com uma história de vida muito rica e uma visão do mundo e do futebol que revela inteligência e cultura.

Com pouca escolaridade, como terá adquirido a capacidade de análise e desenvolveu a sabedoria que revela ao interpretar as situações complicadas com que se deparou ao longo da vida? A resposta vem nesta parte da entrevista:

Além da pesca o que gosta mais de fazer nos tempos livres?
De ler. Leio 40, 50 livros por ano. Acho que foi o ter de deixar de estudar tão cedo. E o esforço que o meu pai e a minha mãe fizeram para que eu estudasse. (…) Marcou-me. O meu irmão também gostava muito de ler quando era jovem. Comprava aqueles livros do Sandokan, o Tigre da Malásia e eu devorava aquilo tudo.

O que é que lhe dá mais prazer ler?
Sei lá, já li tanta coisa. Devido à vida que tinha como treinador, e que infelizmente agora não tenho, aprendi que o futebol é caracterizado por um mediatismo tremendo. Um indivíduo passa de herói a cobarde ou a vilão em hora e meia. A pressão psicológica é tremenda. Costumo dizer que há jogadores que em clubes pequenos são grandes jogadores e quando chegam a um clube grande transformam-se em pequenos jogadores. Tudo porquê? Pela atitude mental. No futebol um indivíduo passa do anonimato a figura pública em três jogos. No meu tempo, muito mais do que hoje, havia uma impreparação tremenda para esse mediatismo, e como quase todos vínhamos de classes sociais menos favorecidas, em que se tinha uma dificuldade maior em lidar com o sucesso ou com o insucesso… É preciso ter um caráter competitivo e profissional fortíssimo e a psicologia tem que estar sempre presente. Por isso li os livros de psicologia todos. Li tudo o que havia, desde a antiguidade até hoje e li todos relacionados com a minha profissão. Para além da formação da equipa e da metodologia de treino, dei sempre muita importância à parte psicológica, porque isso é que comanda tudo.